segunda-feira, 22 de outubro de 2012

PERSONALIDADE...


Hoje, vou apresentar uma pessoa muito especial!

Sarah Jacob, é jornalista e artista plástica; atuante em projetos sociais no Paquistão e na África, ela nos esclarece muitas informações que recebemos da mídia sobre o Oriente e nos conta seu modo de ser e de viver.

Leia a história dessa brasileira, que nasceu judia e converteu-se ao islamismo
Estudou e morou em vários países do mundo
Culta, autêntica e corajosa, encara os desafios com personalidade e partilha conosco sua força
Uma mulher inteligentíssima com um conteúdo interessantíssimo!

Assim como eu, vc vai adorar conhece-la um pouco mais...



1. Vc alçou vôo pelo mundo, qual o local que lhe agradou mais?
Sou um ser 100% adaptável, amo todos os lugares em que estive e vivi.
O lugar que mais me fez crescer e aprender foram os Andes Peru/Bolívia.
Viver entre aquelas mulheres e crianças é memorável.

1.a) Qual a experiência que vc mais gostou de vivenciar?
A que eu mais gostei foi também a mais doída, minha mudança para o Rio de Janeiro.
Com aquela atitude eu estava assumindo o controle de minha vida, e entendi que não teria volta, segui em frente com a responsabilidade de muito ter que caminhar e realizar, e me entender como mulher, mãe e cidadã. Foi uma experiência riquíssima, pois estava sozinha nela, desprovida de apoio com meu coração apertado.
Fui salva simplesmente porque não olhei para as circunstâncias, e sempre acreditei que Deus estaria comigo em todos os momentos.
Um segredo para o fracasso é olhar para as circunstâncias, vê-las em escombros e não seguir adiante, eu fiz o contrário. Até porque vou morrer acreditando em vida feliz e realizada, eu sou teimosa.


1.b) Qual foi a maior dificuldade de praticar um "viver em liberdade"?
Quando relembro fatos de minha vida tenho a nítida certeza que minha inocência me salvou das dificuldades, “ Eu passava por elas”, mas seguia.
O rótulo ainda é a maior dificuldade  na prática de um viver em liberdade.
Fui rotulada de tantos adjetivos, mas eles fizeram um efeito positivo em mim. Descobri que a minha liberdade denuncia o aprisionamento alheio, por isso sabia estar no caminho certo.
Nunca me preocupei em ter razão, em receber a aprovação dos outros.
Não vim a este mundo para agradar, vim para realizar e honrar meu Criador.
Libertar-se das aprovações dos outros é uma estrada que nos conduz a vida plena.

1.c) Conte-nos como vc chegou até Dubai e Paquistão.
Eu cheguei em tantos lugares que chegar em Dubai foi mais um destino.

Eu fui convidada a ir a Dubai em 2007 e na época eu não dei importância ao convite estava muito envolvida com minha arte no Canadá. Depois de algum tempo um convite mais importante chegou, foi um convite de amor, e por amor eu sempre digo sim. Em janeiro de 2009 eu cheguei a Dubai. Pelo mesmo motivo cheguei ao Pakistan em 2011. É o amor que me impulsiona.
A arte é o escape mais feliz para este mundo, sem fronteiras ela une povos. Esta mesma arte me conduz e me permite realizar muitas outras coisas, ela é na realidade a luz intensa que não permite que as portas se fechem ao meu interesse maior, que é a Atitude Social, porque acredito que nós mulheres somos comprometidas com causas sociais. Meu amor às mulheres e crianças é incondicional. Há um fato que muito me impressiona ajudar é literalmente receber, e na tentativa de retribuir eu mais me entrego e mais recebo, as decisões de Deus são completas e infinitas.


2. Vc teve muita dificuldade com a língua e com os costumes dessas regiões?

O inglês me permite comunicar, mas aprender o árabe não é fácil, tive e tenho ainda hoje dificuldades, é muito difícil. Rezar em árabe é muito importante para uma muçulmana (o). No Pakistan a língua é Urdu, estou aprendendo, minhas crianças em Lahore têm me ensinado, nada é mais gratificante do que aprender com as crianças.
Quanto aos costumes, não tive dificuldades, preparei-me para viver em países Islâmicos. Estar preparada é fundamental. Assim como me preparei para viver em Cuba e tantos outros. Quem chega deve ser cordial sabendo que o respeito e conhecimento à cultura são imprescindíveis para a boa convivência.

2.a)Vc foi bem recebida?
Sim, muitíssimo bem recebida. Em Dubai fui recebida como uma rainha literalmente. No Pakistan não foi diferente. Existe um respeito que só quem conhece entende. É outra cultura e outros valores.


3. Qual foi o momento em que vc abraçou a religião islâmica?

Foi no Canadá, 2008, em um momento muito feliz em minha vida. Descobri que Islam significa: Submissão somente à Deus ! E muçulmano significa: Submeter-se a Deus somente.
Estes princípios entraram em meu coração no instante em que  os li na internet. Ninguém me convidou a me converter ao Islamismo, foi uma leitura na internet de um texto do brasileiro Frei Beto.

3.a)O que provocou essa mudança de religião?
A lucidez e a verdade contidas no Islam. Nunca concordei com o que as religiões trazem para a humanidade, são cadeias espirituais, emocionais, morais, sociais. Quem verdadeiramente conhece o Islam entende a profundidade de sua verdade. Islam não muda , não se adapta através dos tempos, porque ele já começou de forma correta pelo Profeta Mohammad (P.U.H.). O Alcorão é o nosso livro.

3.b)Internamente, vc achou o que procurava em termos de fé ou verdade?
Sim, a Fé, ela sempre me salvou, acreditar no Criador sempre foi meu princípio. Fé é dom dado gratuitamente por Deus. Quanto à verdade, ela liberta e eu a persegui por muitos anos. Eu a aprendo no Alcorão. Onde a verdade está contida.  

4. Como é viver sob as leis do Islam?

É uma bênção. Assim como a verdade, as leis também estão no Alcorão. Como vivo no oriente e viajo para o ocidente, posso entender o porquê as pessoas do ocidente questionam tanto, é por puro desconhecimento e conclusões do que ouviram dizer, mas quando abandonam o sujeito indeterminado: Ouviram, falaram, leram na mídia, e partem para o querer saber da verdade, aí tudo se explica. Saber é fundamental.

4.a)Vc pode fazer tudo o que deseja?
O Profeta Jesus Cristo, nosso amado no Islam e que voltará para matar o anticristo, deixou um ensinamento de que: Posso todas as coisas, mas nem todas me convêm.
O Profeta Mohammad (P.U.H.) validou tudo o que os profetas que o antecederam disseram. Eu posso fazer tudo o que desejo, desde que este tudo não fira os interesses dos outros.
No que digo respeito a minha individualidade eu posso.
Eu exercito minha arte, tenho minha empresa, viajo, amo, assisto tevê, vou ao cinema, uso redes sociais, escrevo, o que mais? Tudo o que gosto.
Se puder fazer tudo estiver incluído: Beber, dançar funk, provocar os homens, mostrar meu corpo, trair meu marido, praticar aborto sem justificativa, não me preocupar com causas sociais, falar da vida alheia, desejar o mal, ser irresponsável, lesar o próximo, ensinar o desrespeito as crianças, tudo o que tenho visto no Brasil, aí realmente eu não posso, mas sou livre para fazer e arcar com as consequências. 

5. Vc teve que mudar muito o seu jeito de ser?

Não, meu jeito de ser é impossível de ser mudado, Allah (Deus,God) me fez assim, sou como sou. O importante é o que tenho aprendido e o quanto tenho crescido como ser humano, tenho- me maravilhado com um mundo novo que transborda conhecimento, minha ignorância tem se diminuído. O Islam é a quebra de preconceitos.

5.a) Qual foi a reação de sua família e amigos?
Minha família nunca esperou muito de mim, minha mãe comete o desrespeito de me pedir para tirar o hijab quando vou visitá-la em sua cidade, sei que ela se envergonha da minha atitude. Minha filha também não aceita, mas me respeita, o amor de minha filha por mim é maior do que o preconceito, isto é lindo !!!!
Meus amigos são muito queridos, são amigos, não me questionam, nós nos amamos.

6. Vc sofreu preconceito por parte de algum deles?

Nunca sofri preconceito no Oriente. No Islam nunca. Sofri e sofro preconceito no meu país chamado Brasil.

7. Fale-nos dos trabalhos que vc produz e promove...

Meus trabalhos... Faço tudo com tanto prazer que nem os considero trabalho.
Minha arte, meus perfumes, os khussas (sapatos de couro de camelo feitos a mão), escolho as jóias, roupas, comercializo.
Viajo muito para ver meus queridos na África e em outros lugares.
Aceitei um convite para assumir trabalhos com mulheres e jovens no Brasil e Pakistan com o apoio do Canadá. É um trabalho intenso e muito grande.
Existe no mundo uma juventude desesperançada.

7.a)Qual vc dedica mais tempo?
Dedico mais tempo às mulheres, porque elas são a fortaleza da terra e vítimas de um sistema crudelíssimo. Este assunto é extenso e ultrapassa o quesito religião.

8. Como vc consegue conciliar suas frequentes viagens, trabalho, casa e família?

Não é fácil. Onde estou ali está meu coração e dedico-me integralmente.
Como dona de casa sou horrível, para isto tenho pessoas queridas que me auxiliam. Como esposa sou privilegiada tenho um marido excelente, que me apóia muito, até porque ele sabe que não poderia ser de outro jeito, ele já me conheceu sendo assim e fazendo o que faço. Como mãe sinto que poderia ser muito melhor, cuido mais da qualidade do que com a quantidade no relacionamento, porque tenho filhos nos três continentes. Meus filhos do coração!
Trabalho é o meu oxigênio. Não acredito na possibilidade do ser humano ser bom em todas as áreas de sua vida. A família está enraizada no meu coração. Sinto saudades extremas. Saudade é o amor que fica.

8.a) como é sua rotina?
Acordo e agradeço a Allah por estar viva.
Minha única rotina é rezar cinco vezes por dia, o que todo muçulmano faz. Não tenho outras rotinas, vivo cada dia exatamente como ele se apresenta. Meus horários acontecem. Não uso relógio, mas realizo tudo o que me proponho minha mente não pára e consigo realizar mais de uma tarefa ao mesmo tempo. Escrevo, pinto, leio, brinco com minhas crianças, com meus gatos, minha cadela. Tenho o hábito de dormir muito tarde.  Adequei minha vida a um estilo que funciona, é interessante. Segundo minha filha: “vivo num mundo paralelo”, deve ser mesmo. 


9. No Brasil, é comum recebermos através da mídia, informaçõesestarrecedoras sobre o povo Islâmico, é sempre ligado a alguma tragédia, algum julgamento e consequente punição; a mulher é a maior vítima, sempre subjugada, maltratada, condenada, o que vc acha que tem de verdade sobre isso?

Todos os comentários citados acima não fazem parte da prática do Islam em relação à mulher. Os homens que se dizem muçulmanos e praticam violência contra a mulher, esses não terão o perdão de Allah! Todas as injustiças contra a mulher estão muito longe de serem aceitas pelo Islam. Estas injustiças existem? Claro que existem, elas estão em todo mundo, mas estão fora da religião. Ex.: Um governo do Iran que proíbe mulher de dirigir, não está pautado nos princípios do Islam. O Taliban que a tradução do árabe significa “estudante”, assumir a tentativa de assassinato a uma menina por ela estudar, isto também não é Islam.  Seria o mesmo que eu disser que os padres e bispos pedófilos do Vaticano representam a Igreja católica.
Posso afirmar que enquanto a propaganda foca uma incorreta realidade islâmica, esta mesma propaganda esconde outras verdades. Isto é muito sério, quando a mídia manipula as massas.

A violência contra a mulher existe desde que o homem, (o macho) entendeu sua total fragilidade e dependência a ela. Na tentativa de mascarar isto, a sociedade masculina iniciou o assédio moral, fazendo com que o universo feminino acreditasse em sua inferioridade. Se há uma colocação que me irrita é quando escuto que : “A mulher conquistou ou tem conquistado seu espaço”. Só se conquista quem não o tem. O espaço da mulher lhe pertence desde a fundação do mundo. A mulher precisa tomar posse dele e cuidar dele. A tirania contra a mulher é uma verdade. O Brasil está no sétimo lugar como o país que mais pratica violência contra a mulher no mundo, onze mulheres são assassinadas a cada dia. Na última década foram 40.000 mulheres assassinadas por seus maridos, pais, companheiros,  no Brasil. A China e Índia têm hoje duzentos e quarenta milhões de meninas assassinadas ao nascer, porque o regime assim decidiu. Foi lançado um documentário “ IT´S A GIRL” Com narrativas de mães que foram impostas a assassinar suas meninas ao nascerem. A circuncisão feminina na África é uma prática inaceitável. Os dados da Unicef declaram que: Cerca de 23 milhões de meninas com idades entre 20 e 24 anos foram obrigadas a se casar antes de completar os 15 anos. Em nível global, 400 milhões de mulheres de 20 a 49 anos, 41% da população mundial nessa faixa etária, foram obrigadas a se casarem antes dos 18 anos.
A maior incidência desta pratica ocorre no sul da Ásia (46%), seguida da África Subsaariana (37%), da América Latina e do Caribe (29%), do Oriente Médio e Norte da África (17%) do Sudeste Asiático (18%),  e da União Europeia e Comunidade dos Estados Independentes (11%).
A América Latina , Caribe, União Européia e Comunidade dos Estados Independentes somam 40% de meninas que foram obrigadas a se casarem antes dos 18.
Oriente Médio, junto com a África, somam 17%. Uma porcentagem muito menor quando comparada com países cristãos, como é o caso da América Latina, caribe e União Européia.
Confirmo que a violência contra a mulher está em todo o planeta terra. Assim também confirmo que não será se perdendo que a mulher obterá sua independência, porque ela está na alma da mulher, na moral e no amor, porque toda mulher deve ser uma agente transformadora para o bem.
 

 10. Para vc, quais são as piores manifestações anti Islam ?
A manifestação covarde americana. O governo americano  insita os povos a uma ira descomunal. O mesmo governo americano que trouxe a ditadura para a América do Sul, a guerra para o Iraque, para todos os países. O maior problema é o desconhecimento. O povo não quer saber, ele precisa acreditar. Eu não entendo como o povo brasileiro se esquece fácil sobre quem são os Estados Unidos da América. Um país que nos trouxe 30 anos de ditadura, assim como em toda a América do Sul. Um país que dilacerou com a família americana, tirando a esperança de seu povo jovem, com a guerra do Vietnã. Foram derrotados lá, no Iraque, e em muitos outros países, mas a economia sustentada pelo armamento bélico não pode parar, este mesmo armamento que matam seus filhos.  Hoje não há mais desculpa para o desconhecimento, a internet é a aliada da verdade, o youtube tem vídeos que mostram a verdade que de tão cruel, já ouvi pessoas me dizendo: “Sarah, é melhor nem saber, é tudo muito triste”...

10.a) Qual é a causa que vc destaca como mais negativa para o povo Islâmico?
O desconhecimento do povo ocidental. Em sua maioria as pessoas não tem noção do quanto o Islam significou para o crescimento cultural da humanidade. Para as navegações, estudos e liberdade. Este tópico dá no mínimo duas horas de conversa. A cegueira cultural entorpece a humanidade e a coloca a mercê dos maus.



11)Por que vc acha que existe tanto ódio recíproco entre judeus e islamitas?
Este ódio existe sim. Ele foi ensinado. Por pura competição de poder econômico e religioso. No meu mundo espiritual não convivo com ódios. O ódio nos afasta de todos os propósitos de Deus.  Amo o ser humano incondicionalmente. Meus amigos judeus, cristãos, ateus, budistas, hindus, todos são seres humanos e criados pelo Criador, Allah ! Muitos judeus, assim como cristãos e mulçumanos desconhecem o ódio racial e religioso. Eu escolhi viver num mundo de Paz, esta paz está longíssima da conformidade.


11.a) Esse racha existe em todo mundo árabe ou em determinadas regiões?

No mundo Islâmico não existe judeu, os que vivem por lá e são muitos, se dizem muçulmanos. Até 1948, quando a ONU criou o Estado de Israel, judeus e árabes viviam em paz nos países árabes. Os judeus praticavam sua religião sem problema, enriqueciam com seus comércios, eles deixaram seus países para se mudarem para o Estado Novo de Israel, porque quiseram, nunca foram expulsos. Os cristãos perseguiram os judeus por séculos, situação que tenta ser mantida esquecida. O ódio entre cristãos e judeus trouxe a era da escuridão. O Vaticano criminoso matou milhões de judeus nas Cruzadas na idade média, e apoiou Hitler na segunda guerra, agora tudo isto vai para debaixo do tapete e o foco vira para os muçulmanos. Os Estados Unidos matam, estupram milhares de crianças e mulheres e depois vem com historinhas da carochinha falar sobre direitos humanos e seus Secretários de Estado cínicos fazem declarações infantilizadas, mas que comovem a opinião pública. Cito este país porque é ele o responsável por disseminar o ódio e os rachas nas nações. Ele cumpre atualmente os feitos do Vaticano num passado muito recente.

Cristãos que perseguem e matam Judeus, Hindus que perseguem e matam Muçulmanos, Mulçumanos que matam Judeus, Judeus que matam muçulmanos. Judeus que matam seus profetas, Hindus que matam Gandhi, Católicos que matam Protestantes, Protestantes que matam Católicos. Brancos que matam Negros, Negros que matam Brancos, Brancos que matam Índios...

11.b) Ainda no Império Otomano, judeus, católicos e islamitas viviam em harmonia, conservando as características de cada credo, vc destacaria algum momento da história a causa da divisão entre esses povos ?

Este império começou a nascer no século 11, quando tribos turcas nômades se fixaram na Anatólia, região que hoje é parte da Turquia. Tais tribos ajudaram a difundir a religião muçulmana em terras que até então estavam sob o domínio de outro império, o Bizantino. "O termo otomano deriva do nome Osman, ou, em árabe, Uthman", diz o historiador inglês Malcolm Yapp, da Universidade de Londres. Osman, ou Otman I (1258-1324), foi um chefe turco que transformou essas tribos nômades em uma dinastia imperial. Durante os séculos 15 e 16, o Império Otomano tornou-se um dos estados mais fortes do mundo, englobando boa parte do Oriente Médio, do Leste Europeu e do norte da África. Além do poderio militar, o que ajudou a garantir essa expansão foi a tolerância dos otomanos com as tradições e as religiões dos povos conquistados.
"A Igreja Ortodoxa cristã, que predominava nas terras bizantinas, foi mantida. Os judeus perseguidos pelos cristãos na península Ibérica também encontraram refúgio nos territórios otomanos", diz a historiadora Giulia Crippa, da Universidade de São Paulo (USP), em Ribeirão Preto (SP). Os otomanos foram uma força que deve ser avaliada, militar e culturalmente, desde o seu início até a sua fragmentação nas primeiras décadas do século XX. O verdadeiro fim da cultura otomana chegou com a secularização da Turquia, após a II Guerra Mundial, acompanhando os modelos de governos europeus. A transição para  um estado secular não foi fácil e suas repercussões ainda hoje se fazem sentir na sociedade turca.O Império Otomano teve fim, em 1924,  quando Kemal Ataturk assumiu o poder e aboliu os seis séculos de dominação otomana".
Eu me abstive de responder esta pergunta,  transcrevi o texto da internet citando as fontes, porque nem todas as pessoas sabem sobre a riqueza que foi este império e no texto está claro, que foi junto ao povo muçulmano que os judeus encontraram apoio,  para viverem protegidos do terrível massacre cristão.  Muçulmanos e judeus viviam em paz, esta paz traria grandes perdas para as potências que macabramente, com premeditações  abençoadas pelo satanás  conseguiram  destruir a união entre os povos. Nada destrói mais do que a intriga, e a mentira. Haverá Paz, uma paz que transcenderá o entendimento humano.As pessoas precisam se despir do desconhecimento que produz o preconceito e acordar para uma verdadeira vida. Insha´Allah !!!!

12. Devemos temer o Islam?

Devemos temer o desconhecimento e  a crueldade do ser humano, porque é ele o único animal que mata sem estar com fome, por puro prazer do domínio.
É por medo de perder o poder, que o homem destrói seu semelhante, age como se não houvesse amanhã, como se não soubesse da justiça de Deus.
A vaidade é um espírito avassalador, ela cega quem a alimenta, causando-lhe uma prepotência descomunal, por isto que o deus do poder, da glória, ainda que efêmeros lhes gritam  mais alto. Tudo é vaidade. A Paz e o amor contrapõem a tudo isto.  

13. Vc poderia fazer um breve comparativo entre viver no chamado mundo ocidental e povo islâmico?

Viver entre o povo islâmico é ser respeitada, considerada e amada. É o que vivencio.
Os valores do mundo ocidental afastaram-se dos meus há muito tempo. Quais são os valores do mundo Ocidental? A sociedade está perdida, os pecados travestidos de modernidade onde tudo é permitido. O planeta Terra passará por uma grande transformação.






Espero que vc tenha gostado!

Aguardo seus coments!

Muito obgdo!

Mil beijos!!!!!!

12 comentários:

Beth Kasper disse...

Corajosa, cidadã do mundo e, segundo diz sua própria filha, vive num mundo paralelo" se pensarmos que a opção desta artista é decisão de poucos(as)
Parabéns a ela!

Madi Muller disse...

Puxa,que bacana,lições de vida!!E as fotos, eu amei!!!! Arrasou no post,querida,bela entrevista!!!!

Cynthia Lopes disse...

Telma, entrevista FANTÁSTICA! Parabéns querida, é a primeira vez que vejo com isenção o Islam falar.
Amei tanto que estou compartilhando no face. bjs

Priscila Ferreira disse...

Belíssimos trabalhos!
beijos

TELMA GUEDES disse...

é verdade BK! falou bem...bjos e mto obgdo por vir!

TELMA GUEDES disse...

Madi supersimpática! obgdo, bjos

TELMA GUEDES disse...

mto obgdo Cynthia!!!!! fico feliz q vc curtiu, bjao

Letícia Giraldelli disse...

Nunca tinha se quer ouvido falar essa mulher! Que história magnífica! Lição de vida... Guerreira!

"Até porque vou morrer acreditando em vida feliz e realizada, eu sou teimosa."

Por que você faz poema? disse...

Exemplo.

Fabiana Moraes disse...

Adorei a entrevista! A Sarah é uma mulher apaixonante no primeiro momento que começa a conversar com ela! Parabéns!

Fê Mello disse...

Olá Telma!
Que entrevista fantástica! Amei, me deu vontade de conhecer Dubai. rs
Ela só falou sobre a arte dela, pensei que iria ver algo aqui...

Beijos, e um ótimo fim de semana.

www.noivadoedgar.blogspot.com

https://www.facebook.com/thestyleofhislove

Soninha disse...

Fantástico trabalho da Sarah!
Eu sou noiva de um muçulmano, entendo e concordo em vários momentos da entrevista. Beijos Telma